Continental Origins of Insular Proslavery

George Dawson Flinter in Curaçao, Venezuela, Britain, and Puerto Rico, 1810s-1830s

Autores

  • Christopher Schmidt-Nowara Tufts University

DOI:

https://doi.org/10.1590/2236-463320140804

Palavras-chave:

violência, medo, segunda escravidão

Resumo

Este artigo acompanha a carreira e as migrações de George Dawson
Flinter, um indivíduo naturalizado espanhol, de origem irlandesa, que se
tornou um proeminente defensor da escravidão e do domínio colonial
espanhol no Caribe nas décadas de 1820 e 1830. O artigo argumenta
que as experiências de Flinter no continente americano em revolução,
especialmente na Venezuela, deu forma às suas posições em relação à
escravidão, liberdade, raça e ordem social, que ele propagou em nome do
regime espanhol no Reino Unido e em Porto Rico. Os escritos de Flinter,
seus tratos de lealdade, migrações, lançam uma nova luz sobre as origens
do pensamento escravocrata, não só no Caribe espanhol, mas também em
todo o Atlântico, durante a consolidação do período da segunda escravidão.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-01-03

Como Citar

Schmidt-Nowara, C. . (2022). Continental Origins of Insular Proslavery: George Dawson Flinter in Curaçao, Venezuela, Britain, and Puerto Rico, 1810s-1830s. Almanack, (8). https://doi.org/10.1590/2236-463320140804

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.